Elis Regina e Tom Jobim: conheça a história dessa parceria

Elis Regina e Tom Jobim são, sem dúvida, os dois maiores nomes da música popular brasileira. E também brilharam juntos no palco, com canções inesquecíveis como “Só tinha de ser com você” que até hoje ainda faz sucesso com diversos públicos.

Mas você sabe como essa parceria teve início? Continue a leitura e saiba mais!

O primeiro encontro e a ditadura militar

A primeira vez que Elis Regina e Tom Jobim trabalharam juntos foi na gravação “Elis & Tom” de 1974 realizada nos Estados Unidos. Mas até que essa história se concretizasse aconteceram muitos percalços.

Elis Regina vinha sofrendo com uma crise de imagem, principalmente porque havia se apresentado nas Olimpíadas do Exército, na época da ditadura militar. Embora ela não fosse favorável ao regime, acabou aceitando a proposta por medo de retaliação e também por inabilidade dos seus empresários em saber negociar com os militares.

O resultado foi bastante desastroso para a imagem da cantora, que passou a ser mal vista por alguns setores da imprensa, do mundo acadêmico e da intelectualidade.

Precisando se reerguer, Elis procurava uma parceria com um músico de renome e de prestígio. Um convite da gravadora Phonogram veio a calhar e foi assim que o empresário e produtor de Elis na época, Roberto de Oliveira, sugeriu a parceria com Tom Jobim, que estava morando no exterior e sofria com a falta de popularidade no seu país.

Tom queria ser mais conhecido e popular por aqui, enquanto Elis desejava se unir a um nome de peso entre os músicos da época e, principalmente, que não tivesse nenhum envolvimento com o cenário político. Foi assim que surgiu o disco Elis & Tom – um momento histórico para a música popular brasileira.

A história, inclusive, foi contada à Folha de São Paulo por Roberto de Oliveira e tem outras curiosidades sobre esse momento.

Rusgas entre os artistas

Porém, antes dessa gravação, Elis Regina e Tom Jobim já tinham “trocado farpas”. A cantora havia sido reprovada por Tom, em 1964, para o disco Pobre Menina Rica, com a alegação de que ela era muito provinciana.

Dez anos mais tarde, os dois voltaram a se encontrar para a gravação do disco, mas mesmo assim as dificuldades apareceram, pelo menos no início, com debates sobre questões musicais. Principalmente porque cada um vinha de uma escola diferente, já que Elis era cantora de MPB e Tom ainda vivia a época da Bossa Nova.

Outra curiosidade sobre esse relacionamento foi a música “Na Batucada da Vida”, de Ary Barroso. A canção foi mostrada à Elis por Tom durante o período que ficaram nos Estados Unidos e Tom pediu a ela que não gravasse a música, pois a mesma seria incluída em um disco só com canções de Ary que Tom pretendia gravar.

Mas, ao retornar para o Brasil, Elis gravou a canção, deixando Tom Jobim chateado e fazendo com que o músico deixasse o projeto de lado.

A importância de “Elis & Tom”

Apesar de tudo isso, o disco “Elis & Tom” é considerado um dos mais importantes da nossa história musical – e já foi até cobrado como “leitura obrigatória” no vestibular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em 2018, ao lado de clássicos da literatura brasileira.

Isso porque, as letras e as melodias dessa gravação carregam um grande peso lírico, além de ajudar os jovens a conhecerem um pouco mais sobre essas duas personalidades tão importantes para a história da nossa música.

Elis Regina e Tom Jobim são dois grandes nomes da nossa música e de personalidades fortes que juntos criaram um dos discos mais famosos da nossa história. Se você gostou deste post, compartilhe a nossa publicação em suas redes sociais!